A TecVitória

Nossa História

Em 1995 a TecVitória iniciou suas atividades como incubadora de empresas de base tecnológica com característica multissetorial, sendo sócios fundadores a UFES, o Governo do ES, a FINDES, o SEBRAE-ES, o BANDES, o GERES, a Prefeitura Municipal de Vitória - PMV, o IEL/ES e a Empresa Parque Tecnológico – EPT, mas seus resultados ficaram bem aquém do planejado.

Em 2000 o Conselho de Administração, à época já contando com a participação da CST (hoje Arcelor Mittal Tubarão), CVRD (hoje VALE), Aracruz Celulose (hoje Fibria) e Escelsa (hoje EDP), decidiu focar a entidade ao setor de TI, o que efetivamente trouxe resultados relevantes, passando 2001 a ser um marco do reinício dos trabalhos da incubadora, tendo graduado sua primeira empresa.

A partir daí a entidade foi credenciada como Agente Softex, sendo absorvido o Programa GeneVIX gerando parcerias com as IES UFES, FAESA, FACHA, USC, FABAVI (hoje Doctum), UCL, Estácio de Sá, Novo Milênio e CEFETES (hoje Ifes). À época foi desenvolvido o Concurso Uniempreendedor cuja primeira versão contou com apoio do CNPq. O modelo do concurso integrou o Manual de Boas Práticas 2007 da Anprotec.

Em 2003 a TecVitória foi também qualificada como OSCIP e passou a sediar o Capítulo Capixaba do Project Management Institute - PMI. Já em 2004 a entidade passou a gerir o programa de desenvolvimento do Pólo de Software de Vitória.

Em 2005 o Conselho de Administração optou por retornar à atuação multissetorial em base tecnológica. Neste mesmo ano, com o objetivo de ampliar a sinergia entre as incubadoras do Estado, foi criada a Rede Capixaba de Incubadoras - RECIN, e a TecVitória foi escolhida para sediá-la. Foi também quando iniciamos, com apoio do SEBRAE-ES, o projeto de Planejamento Estratégico para empresas incubadas, o que culminou em um novo e exitoso modelo de apoio, que também integrou o Manual de Boas Práticas 2007 da Anprotec.

A partir de 2006 a entidade passou a contar com firme apoio da CDV - Companhia de Desenvolvimento de Vitória, atuando como ferramenta para o surgimento e o desenvolvimento de empreendimentos de alto conteúdo tecnológico no município. A TecVitória é a única representação do município no Atlas Wainova of Innovation.

Em 2007 o atual superintendente da TecVitória participou, a convite do SEBRAE e Anprotec, do workshop “Estruturação Coletiva de um Novo Modelo de Incubação de Empreendimentos Inovadores” em Florianópolis, SC. Em 2008 seus demais gestores participaram de capacitações no modelo então nominado CERNE.

Foi ainda desenvolvida pela RECIN, em conjunto com o SEBRAE-ES e sob coordenação da TecVitória, a Metodologia para Implantação de Incubadoras de Empresas, desde então utilizada para avaliação de novos projetos no Estado.

Em 2008 a entidade com base em sua experiência no suporte à criação de outras incubadoras no ES e competência no gerenciamento de projetos, foi contratada para efetuar uma operação Turn Key na incubadora de Base Tecnológica do Ifes, completada com sucesso em janeiro de 2010.

Nos últimos anos a entidade se tornou ainda sede do Centro Tecnológico de Computação Gráfica – CTGraphics, da Secretaria Executiva do Fórum Nacional de Secretários Municipais de C&T, do pólo capixaba da SBGC, do Centro de Design do ES, da Assespro-ES, do Instituto Divulga Ciência, e da Vitória Investidores Anjos, sendo formalizada em final de 2009 como Marco Zero do Parque Tecnológico Metropolitano de Vitória.

A TecVitória mantém estreitos laços com a incubadora do Ifes, a de EcoNegócios da IMADESA, e a de Colatina – INECOL, participando ativamente de todas suas atividades de suporte e apoio a empreendimentos. À época do lançamento da Chamada pública PNI 03/2009 a TecVitória foi confirmada como Incubadora Coordenadora, e com recursos da Carta Convite PNI Incubadoras 12/2010 passou a atuar diretamente no apoio à gestão dessas incubadoras capixabas.

Em 2011 iniciamos ações junto ao Fórum do Prominp a partir de uma visita à oficina de manutenção do Ativo Norte da Petrobras no ES. Esta atividade agregou um enorme potencial de atendimento a oportunidades existentes na Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás Natural. O primeiro projeto (ES-28) teve seu foco no desenvolvimento de um fornecedor local para Unidades de Bombeio Mecânico, com um consórcio de 3 empresas incubadas desenvolvendo tecnologicamente o projeto de uma Bomba de Fundo, mais uma empresa âncora do setor metal-mecânico.

Coroando os resultados obtidos pela TecVitória até 2012, a entidade recebeu uma homenagem no Palácio Anchieta enquanto Instituição Privada de Destaque em Ciência, Tecnologia e Inovação, outorgada pelo Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia – CONCITEC, na presença do Governador de Estado.

Atualmente a TecVitória integra outros 7 projetos (ES-20, ES-24, ES-29, ES-30, ES-31, ES-34 e ES-36). Como efeito dessas atividades em 2012 a Petrobras passou a integrar o Conselho de Administração da TecVitória e a entidade passou a integrar formalmente o Fórum do Prominp no ES. Em meados de 2013 temos trabalhando o P&D dos projetos do Prominp 5 empresas incubadas (4 na TecVitória e 1 no Ifes)  e a demanda tanto da Petrobras, quanto de empresas do setor metal-mecânico e de empreendimentos de P&D, interessados em participar destes processos é crescente.

O Escritório de Projetos da TecVitória entre 2003 e novembro de 2014 apoiou diretamente a proposição de 125 propostas aprovadas em agentes diversos do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, possibilitando seu fortalecimento, das empresas, e das demais organizações apoiadas, com aportes que somam R$ 30,2 milhões não reembolsáveis e R$ 8,8 milhões em contrapartidas, mais 1,3 milhões em projetos junto ao SebraeTEC, com 199 mil em contrapartidas.